Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

a
a
 
a



patrocinio
 


Só com alumínio os carros têm futuro

O Salão do Automóvel de Detroit deste ano mostrou que o aumento do uso do alumínio em estruturas e carrocerias é uma certeza; como a mais tradicional mostra internacional do planeta, o Naias dita a moda quando o assunto é tecnologia automotiva

Alexandre Akashi

Se por um lado o Naias – North American International Auto Show, mais conhecido como Salão de Detroit, apresenta ao público as estréias mundiais em automóveis, por outro é palco de protótipos e visões de futuro muito interessantes.

A última edição, realizada em janeiro, mostrou que o alumínio tem espaço garantido em ambos os casos. No primeiro, conta com uma ajudinha da Casa Branca. Isso porque o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, adotou uma nova legislação de eficiência energética para automóveis, que obriga os fabricantes a produzirem, até 2025, veículos mais econômicos, que atinjam o consumo médio de 54,5 MPG (milhas por galão), aproximadamente 23,17 km/l.

Especialistas dizem que tal marca somente será possível de ser atingida com uma combinação de tecnologias, entre as que possibilitem a redução da necessidade de combustível pelo motor de combustão interna, como a produção de veículos mais leves e aerodinâmicos. Assim, muitos esperam um aumento no uso do alumínio nos próximos dez anos, em detrimento do uso do aço.

Por isso, a Mercedes-Benz já sinalizou que está atenta à questão, ao apresentar a Nova SL, com chassi e estrutura em alumínio. Tudo bem que se trata de um carro de nicho, de categoria elevada, mas este é o começo de uma nova era na Mercedes-Benz, que aproveitou o Salão para dizer que com o modelo SL, entrou definitivamente na corrida à liderança na área de estruturas leves para automóveis.

Detroit mostrou ainda outras iniciativas de marcas que buscam no alumínio um diferencial, como a Audi, pioneira no uso de chassis de alumínio, que marcou forte presença com destaque para os modelos R8 e A8, assim como a BMW, com o modelo M5, e a Lotus, com o Tesla.

Tal como as marcas Premium, os fabricantes de modelos super esportivos mostraram que alumínio e performance andam lado a lado. Um exemplo é o Falcon F7 Supercar, que utiliza carroceria em fibra de carbono com estrutura em alumínio. Com motor de 7 litros, vai de 0 a 100 km/h em 3,3 segundos e supera a marca dos 320 km/h.

Por outro lado, marcas tradicionalmente norte-americanas como a Cadilac, têm ampliado o uso do alumínio na busca de redução de peso. Um exemplo é o sedan compacto ATS (para os padrões norte-americanos), apresentado no salão, que pesa cerca de 1.500 kg, e mede 4,63 m de comprimento, 1,80m de largura e 1,42m de altura. Para chegar a este peso, nestas medidas, a Cadilac usou alumínio no motor, suspensão e capô.

 Cadillac ATS  Falcon F7 Supercar

 Audi A8  Mercedes-Benz SL

 BMW M5  Lotus Tesla

Conceitos
No futuro, os carros terão de ser muito mais eficientes do que hoje, rodar mais quilômetros com menos combustível, para emitir menos gases poluentes e/ou até mesmo não emitir nenhum tipo de gás poluente. Este é um movimento que já começou e ainda há bastante a evoluir.

Neste momento, será a vez dos veículos elétricos, híbridos e o que mais o cérebro humano conseguir imaginar e desenvolver. Mas, um fato é certo: independente do tipo de propulsão, os veículos precisam ‘emagrecer’, pois somente depois que ficarem mais leves conseguirão se tornar mais eficientes.

Nisso, o alumínio desenvolve papel importante, tanto que os modelos conceituais apresentados no Salão de Detroit usam e abusam desta matéria-prima. Essa é a receita do BMW i3, um hatchback elétrico de cinco portas construído basicamente de alumínio e plástico reforçado com fibra de carbono, com baterias de íon-lítium que permitem autonomia de até 160 km.

Quem também utiliza a fórmula de estrutura e chassis em alumínio é a Honda, no conceito Accura NSX, modelo que retorna aos olhos do público depois de ter a produção suspensa em 2005. O carro apresentado é um protótipo, mas com muitas chances de virar modelo comercial em breve.

 BMW i3  Honda Accura NSX

Ao todo, o Naias apresentou cerca de 40 novidades mundiais entre novos modelos e carros conceitos. Estes foram alguns destaques. O que se viu por lá é que a tecnologia de veículos híbridos já é uma realidade para todas as montadoras, e não somente em modelos Premium. Assim, fato é que todos deverão apresentar gradativamente automóveis mais eficientes e, com isso, o aumento no uso do alumínio em estruturas e carrocerias é uma certeza.


a
a
a

 

rodape

I